Relações ecológicas (continuação)

Interespecífica (entre indivíduos de espécies diferentes)

Mutualismo

Associação entre indivíduos que pode ser obrigatória (simbiose) ou facultativa (protocooperação).

Na associação obrigatória, ambos os indivíduos se beneficiam, porém cada espécie só consegue viver na presença da outra. Ex.: líquen, bois e micro-organismos do sistema digestório.

Abelhas, beija-flores e borboletas são alguns animais que se alimentam do néctar das flores. O néctar é produzido na base das pétalas das flores e é um produto rico em açucares. Quando abelhas, borboletas e beija-flores colhem o néctar, grãos de pólen se depositam em seu corpo. O pólen contém células reprodutoras masculinas da planta.

Pousando em outra flor, esses insetos deixam cair o pólen na parte feminina da planta. As duas células reprodutoras - a masculina e a feminina - irão então se unir e dar origem ao embrião (contido dentro da semente). Perceba que existe uma relação entre esses insetos e a planta em que ambos lucram. Esse tipo de relação entre duas espécies diferentes e que traz benefícios para ambas é chamada mutualismo.

Os animais polinizadores obtêm alimento e a planta se reproduz.

Outro exemplo são os liquens, associação mutualística entre algas e fungos. Os fungos protegem as algas e fornecem-lhes água, sais minerais e gás carbônico, que retiram do ambiente. As algas, por sua vez, fazem a fotossíntese e, assim, produzem parte do alimento consumido pelos fungos.

     
Liquens e polinizadores

Próximo conteúdo: Trabalho Científico
Como referenciar: "Mutualismo" em Só Biologia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2020. Consultado em 29/10/2020 às 13:10. Disponível na Internet em https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Ecologia/relacoesecologicas1.php

Divirta-se com o LOBIS HOMEM

Produtos de quando CORONA era motivo de alegria

O sonho de ser cantor