Universo
 Sistema Solar
 Ar
 Água
 Solo
 Ecologia
 Seres Vivos
 Reino dos Animais
 Reino das Plantas
 Corpo Humano
 Mais Conteúdos [+]

 Seres Vivos
 Os Vírus
 Reino Monera
 Reino Protista
 Reino Fungi
 Reino Plantae
 Genética
 Citologia
 Biotecnologia
 Mais Conteúdos [+]

 Exercícios Resolvidos
 Provas de Vestibular
 Simulados On-line

 Laifis de Biologia
 Área dos Professores
 Fórum de Discussão
 Glossário Biológico

 Jogos de Ciências
 Biokids
 Macetes

 Jornal Só Biologia
 Notícias
 Curiosidades
 Dicas de Etiqueta
 Grandes Cientistas
 Indicação de Livros
 Fale Conosco

 
Busca Geral

 

 

Métodos anticoncepcionais (contraceptivos)

 

 

A partir da puberdade, o organismo dos rapazes e das garotas se torna capaz de gerar filhos. Mas ter filhos é uma decisão muito séria. Cuidar de uma criança exige condições que em geral os adolescentes ainda não têm. Bebês e crianças precisam de cuidados constantes, carinho e orientação de adultos responsáveis com tempo disponível e condições financeiras para criá-los.

 

Criar, educar e sustentar uma pessoa é uma responsabilidade enorme.

Quem pretende ter relações sexuais, mas não quer correr o risco de uma gravidez, precisa utilizar algum método anticoncepcional ou contraceptivo. O casal deve conversar claramente sobre como evitar a gravidez. E isso precisa ser feito antes da primeira relação sexual. Depois, pode ser tarde

 

 

É a mulher quem fica grávida, mas ela não engravida sozinha! A responsabilidade é do casal. Se os parceiros não conseguem conversar sobre o assunto ainda não chegou a hora de eles terem relações sexuais.

Por isso conversa com o parceiro ou a parceira e escolher, de comum acordo, um método anticoncepcional é muito importante quando se quer ter relação sexual sem gravidez à vista.

Antes de começar um relacionamento sexual, no entanto, a mulher precisa consultar com um ginecologista. Se o parceiro puder ir junto, melhor. O médico explicará os métodos apropriados ao casal e dará a orientação necessária.

 

 

Vamos ver quais os métodos anticoncepcionais existentes:

Os métodos contraceptivos podem ser divididos didaticamente em: comportamentais, de barreira, dispositivo intra-uterino (DIU), métodos hormonais e cirúrgicos.

A escolha do método contraceptivo deve ser sempre personalizada levando-se em conta fatores como idade, números de filhos, compreensão e tolerância ao método, desejo de procriação futura e a presença de doenças crônicas que possam agravar-se com o uso de determinado método. Como todos os métodos têm suas limitações, é importante que saibamos quais são elas, para que eventualmente possamos optar por um dos métodos. Todavia, na orientação sobre os métodos anticoncepcionais deve ser destacada a necessidade da dupla proteção (contracepção e prevenção as DST e HIV/AIDS), mostrando a importância dos métodos de barreira, como os preservativos masculinos ou femininos.

 

 

Métodos comportamentais

 

Abstinência

Evitar o ato sexual com penetração.

 

Método da tabelinha (ou calendário)

É um método natural que não emprega nenhum material ou remédio. Consiste em não ter relação sexuais no período fértil, ou seja, no período mais próximo a ovulação. Portanto, só pode dar certo para mulheres que tem o ciclo menstrual bem regular.

Para determinar o dia provável da ovulação, primeiro a mulher tem de saber direito qual é seu ciclo e se ele é bem regular. Para isso, deve anotar, por oito meses, pelo menos, o dia do início da menstruação. Conforme você já estudou, a ovulação ocorre, aproximadamente, 14 dias antes da próxima menstruação.

A mulher deve anotar em um calendário (na sua “tabela”) o primeiro dia do ciclo. Se ela menstrua de 28 em 28 dias, a ovulação deverá ocorrer no 14º dia – esse é o dia mais fértil. E não deve ter relações sexuais nos quatro dias anteriores e nos quatro dias posteriores à ovulação.

 

 

É preciso muito cuidado, o método da tabelinha falha com frequência! Em mulheres com menstruação irregular, ele não funciona mesmo. Até quando o ciclo é bem certinho, pode haver, por algum motivo, irregularidades passageiras. Por isso, não é um método adequado para quem quer de fato evitar a gravidez.

 

Temperatura basal

Método oriundo na observação das alterações fisiológicas da temperatura corporal ao longo do ciclo menstrual. Após a ovulação, a temperatura basal aumenta entre 0,3 e 0,8o C (ação da progesterona). A paciente deve medir a temperatura oral, durante 5 minutos, pela manhã (após repouso de no mínimo 5 horas) antes de comer ou fazer qualquer esforço, e anotar os resultados durante dois ou mais ciclos menstruais. Esse procedimento deve ser realizado desde o primeiro dia da menstruação até o dia em que a temperatura se elevar por 3 dias consecutivos.

 

Depois de estabelecer qual é a sua variação normal, e o padrão de aumento, poderá usar a informação, evitando relações sexuais no período fértil.

Uma grande desvantagem do método da temperatura é que se a mulher tiver alguma doença, como um simples resfriado ou virose, todo o esquema se altera, tornando impossível retomar a linha basal, ou saber se o aumento de temperatura é devido à ovulação ou a febre.

Portanto esse método, tanto quanto a tabelinha não são recomendados para quem realmente deseja evitar a gravidez

 

 

 

 

Curta nossa página nas redes sociais!

Só Biologia finaliza seu próximo DVD. Saiba mais.

Mais produtos

 

Sobre Nós | Política de Privacidade | Contrato do Usuário | Anuncie | Fale Conosco

Copyright © 2008-2014 Só Biologia. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Grupo Virtuous.