A reprodução dos fungos

Os fungos apresentam reprodução assexuada e sexuada.

Os cogumelos-de-chapéu pertencem a um grupo de fungos chamado de basidiomicetos. Vamos considerar esse grupo para explicar de forma simplificada, como ocorre a reprodução dos fungos pluricelulares.

Como vimos, o micélio é formado por um emaranhado de filamentos denominados hifas. Nos fungos terrestres, o micélio se desenvolve sobretudo subterraneamente. Mas hifas férteis organizam, geralmente no meio aéreo, uma estrutura chamada de corpo de frutificação. Essa estrutura contém um "chapéu" portador de vários esporângios. Cada esporângio é um estrutura produtora de unidades de reprodução chamadas esporos.

Uma vez produzidos nos esporângios, os esporos são limitados no ambiente, podendo se espalhar pela ação do vento, por exemplo; ao encontrar condições favoráveis, num certo local, os esporos germinam e originam hifas que formarão um novo fungo. O número de corpos de frutificação emitidos por um cogumelo-de-chapéu é variável, conforme a espécie. O micélio de um único cogumelo Agaricus bisporus, comestível e conhecido como champignon, é capaz de emitir, em média, de 80 a 100 "chapéus" no meio aéreo.

Como os fungos obtêm alimento

Os fungos não possuem clorofila, são heterótrofos, portanto não são capazes de produzir o seu próprio alimento. Eles podem ser decompositores, parasitas ou viver associados a outros seres, conforme você verá a seguir.

Decompositores

Os fungos, ao se alimentares, retiram dos restos de plantas e animais a matéria orgânica que é aproveitada pelo seu organismo. Ao fazer isso, eles decompõem, ou seja, apodrecem a matéria orgânica. Um tomate apodrecido, por exemplo, vai ficando "oco" a medida que a sua matéria vai sendo decomposta pelos fungos.

Parasitas

Os fungos parasitas vivem à custa de outros seres vivos, provocam doenças em plantas e animais. Nas plantas, algumas das doenças mais conhecidas são a "ferrugem" do café, do feijão e do trigo o "carvão" da cana-de-açúcar; e a "murcha" do algodão.

Os agricultores usam fungicidas para eliminar os fungos das plantas. Atualmente, é comum selecionar para o plantio plantas geneticamente resistentes aos fungos.

Os fungos são capazes de penetrar na camada de celulose que protege as plantas. Alguns destroem a substância responsável pelo enrijecimento do tronco e do caule das plantas.

Micoses - As doenças provocadas por fungos são conhecidas como micoses. Entre as que podem acometer o ser humano, podemos citar o "sapinho", comum na boca de bebês, e as frieiras nos pés. Há micoses que atacam órgãos internos, por exemplo, os pulmões, e podem provocar a morte do indivíduo.

 

Os fungos podem infectar a nossa pele e multiplicar-se causando as micoses. Para ocorrer essa multiplicação, são necessárias condições que favoreçam a ação dos fungos: a umidade e o calor, comuns nas virilhas, entre os dedos (principalmente os dos pés) e no couro cabeludo; dessas regiões os fungos podem espalhar-se por outras áreas do corpo.

Como evitar as micoses

  • Lavar-se com água e sabão, pois a higiene á a melhor maneira de prevenção.
  • Evitar calor e umidade em áreas de dobra de pele: enxugá-las bem após o banho; não ficar muito tempo com roupas de banho úmidas (maiô e calção, por exemplo).
  • Usar roupas leves e claras durante o verão.
  • Evitar o uso contínuo de tênis, calçados de borracha ou sapatos apertados.
  • Usar meias claras, limpas e bem secas.
  • Manter as unhas curtas e limpas.

 

Como referenciar: "A reprodução dos fungos" em Só Biologia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2018. Consultado em 21/02/2018 às 02:32. Disponível na Internet em https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos/fungos2.php