Você está em Entretenimento > Curiosidades

A história das raças de cachorro

Beagle

O Beagle surgiu na Inglaterra como companheira de caçadores e, no século 14, era usada na caça de lebres.

Campeão mundial de olfato, costuma enlouquecer os donos nos passeios, pois tem uma vontade incontrolável de descobrir a origem do odor.

Em casa, está sempre cheio de energia, o que lhe rendeu fama também como cão de guarda.

Boxer

O Boxer foi desenvolvido na Alemanha do século 19 a partir de um cruzamento do buldogue com mastiffs. Conhecido como o cão que nunca envelhece, está sempre disposto e cheio de energia para passear até ficar velhinho. Uma curiosidade: exibe a maior língua do mundo cão, que pode ultrapassar os 40 cm - ele consegue enrolar um chihuaua se quiser.

Bull Terrier

A força e a cara de “não mexe comigo” vêm do seu passado de lutador. O bull terrier surgiu na década de 1830, como um cruzamento do buldogue com o hoje extinto terrier inglês. A ideia era construir o cão de luta ideal: troncudo como um buldogue, com a agilidade e a saúde de um terrier típico. Seus dias de luta, no entanto, viraram história depois que as rinhas se tornaram ilegais. E o bull terrier migrou para os lares.

Bulldog Francês

O bulldog francês é um dos cães mais divertidos e ativos que existem. Na metade do século 19, os menores exemplares da raça foram levados da Inglaterra, onde nasceram, à França e logo viraram a sensação entre as socialites - daí ganharam o nome de buldogues franceses.

Cocker Spaniel

É a mesma raça da fêmea de "A Dama e o Vagabundo". Sua origem está na Espanha, há mais de mil anos. Apesar desse histórico, a raça mais conhecida hoje é o cocker spaniel inglês. Também existe a versão americana, com focinho mais curto e cara de mal-humorado.

Dachshund

A Universidade Americana no Cairo descobriu mumificações do cão de pernas curtas e corpo longo e sugere que a raça vem do Egito antigo. O padrão moderno da raça, porém, nasceu na Alemanha, a partir de cruzamentos de hounds e terriers, cães caçadores por excelência. São independentes, teimosos, tendem a latir muito e a morder tornozelos.

Continua após a publicidade

Golden

O golden retriever é resultado do cruzamento de retriever amarelado com uma weed water spaniel - raça já extinta. O cachorro é um dos mais obedientes do reino canino.

Labrador

As origens do labrador remontam à cultura da pesca na província canadense de Terra-Nova e Labrador - daí o nome da raça. Os cachorros ajudavam os pescadores em diversas atividades que envolviam natação, como ajudar a puxar barcos no gelo e recolher peixe. É a raça mais indicada como companheira de pessoas doentes, receitado como terapeuta emocional.

Lhasa Apso

Essa raça, que homenageia a cidade de Lhasa, capital do Tibete, era adorada pelos budistas, pois eram cães de guarda dos monasteiros. Os lhasa só ficaram conhecidos no século 20. E olha só: foi o Dalai Lama em pessoa quem enviou a primeira leva de lhasas para as Américas, para dar boa sorte.

Lulu da Pomerânia

O lulu da pomerânia ganhou popularidade por ser a raça preferida da rainha Vitória, no século 19. A altura de um lulu é igual ao seu comprimento. Um cachorro quadrado, olha só. De resto, têm o temperamento um pouco parecido com o dos felinos: gostam de estar perto dos donos, mas não são tão pidões.

Pastor Alemão

Em 1899, um oficial aposentado da cavalaria alemã, Max von Stephanitz, registrou o primeiro pastor alemão da Terra. Hoje, é a raça mais usada pelas polícias, já que é tão forte quanto fácil de adestrar - treinadores dizem que você pode ensinar tudo para um pastor, com a vantagem de que ele se arrisca mais do que seus colegas bípedes.

Continua após a publicidade

Poodle

Por baixo do porte aristocrático e da tosa extravagante, existe um cérebro muito desenvolvido. A raça é considerada uma das mais inteligentes no mundo canino. Muito antes de virar cão de companhia, o poodle era usado em caçadas aquáticas, na Idade Média, buscava os pássaros que caíam em lagoas e rios após serem abatidos pelos caçadores.

Pug

Ninguém desconfiaria que esse cãozinho inofensivo já foi a pedra no sapato de Napoleão Bonaparte. A esposa do imperador, Josefina, tinha um pug ciumento, que não gostava nem um pouco do general. Dizem que o mascote impediu Bonaparte de entrar no quarto várias vezes. A raça surgiu na China e foi levada à Holanda na época das Grande Navegações. Ter um pug em casa é garantia de companhia e roncos constantes, causados pelo focinho achatado que dificulta a sua respiração.

Rottweiler

Este cão tem dupla personalidade. Ele pode ser agressivo e instável ou obediente e afetuoso. É preciso ensiná-lo a obedecer as regras da casa, a ser afável com pessoas conhecidas ou ficar alerta perto de estranhos. Adestrá-lo é obrigatório. Todo cuidado é pouco: o rottweiler tem a pior mordida do reino canino.

Schnauzer Standard

Alertas e espertos, os schnauzers foram usados como carregadores de mantimentos da Cruz Vermelha durante a 1ª Guerra Mundial. Foram criados originalmente como caçadores de ratos no século 14. São hoje cães de companhia apreciados.

Yorkshire

Os yorkshire saltitam, latem muito, são inquietos e teimosos. É difícil entender como tanta personalidade cabe em um cachorro tão pequeno. Mesmo assim, o yorkshire é o cão de colo mais popular do mundo. Antigamente usados em eventos públicos de caça a ratos na Inglaterra.

Vira-lata

Enquanto os cães de raça definida costumam ficar doentes com frequência, os mestiços esbanjam saúde. O que eles têm de especial é justamente a miscigenação. O que eles têm de especial é justamente a miscigenação, já que não passam por processos comuns em canis para “purificar” as raças.

Fonte: super.abril.com.br

Como referenciar: "A história das raças de cachorro" em Só Biologia. Virtuous Tecnologia da Informação, 2008-2018. Consultado em 18/02/2018 às 17:18. Disponível na Internet em https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Curiosidades/historia_racas_cachorros.php